Blog

Retorno das gestantes ao trabalho presencial
Close up. Young Pregnant Woman Using Laptop at Home and Holding One Hand on Belly. Young Freelancing Mother. Freelancing at Home. Remote Work Concepts. Pregnant Businesswoman. Laptop on Desk.

Retorno das gestantes ao trabalho presencial

  • Post category:Artigos

No último dia 10 entrou em vigor a Lei nº 14.311/2022 alterando a Lei 14.151/2021 que disciplina sobre o afastamento da empregada gestante não imunizada contra o coronavírus das atividades presenciais quando a atividade laboral por ela exercida for incompatível com a sua realização de trabalho de remoto.

Neste sentido, a nova Lei n° 14.311/2022 determina que a empregada gestante, que ainda não tenha sido efetivamente imunizada contra o SARS-CoV-2 (COVID-19) de acordo com os critérios do Ministério da Saúde, deverá permanecer afastada das atividades presenciais, mas deverá estar à disposição do empregador para exercer suas atividades em home office, sem prejuízo de sua remuneração.

Em contrapartida, as gestantes que adotaram o ciclo de vacina contra a COVID-19 deverão retornar às atividades presenciais conforme determinação do empregador.

Nos termos da Lei, a empregada gestante somente deverá retornar ao trabalho quando:

● Encerrado o estado de emergência de saúde pública decorrente do coronavírus;

● Após a vacinação completa, a partir do dia em que o Ministério da Saúde considerar completa a imunização.

● Todavia, a empregada que optar pela não vacinação contra o vírus poderá retornar ao trabalho mediante termo de responsabilidade e de livre consentimento para o exercício do trabalho presencial.

Importante ressaltar que, apesar da autorização ao retorno presencial após a vacinação completa contra o covid-19, as gestantes ainda integram o grupo de risco, portanto, é importante que o empregador analise a situação com cautela e se há efetiva necessidade da gestante ao trabalho presencial, priorizando a sua saúde.

 

Artigo escrito por:

Mariana Mizoguchi – Graduanda em Direito pela Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo.

Os artigos e notícias reproduzidos neste blog são, tanto no conteúdo quanto na forma, de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem, necessariamente, a opinião integral do escritório Vieira Tavares Advogados.